sábado, 2 de julho de 2016

TU ÉS QUEM DECIDE

Tu és quem decide

...Na verdade, eu jamais deveria precisar de teus carinhos.
Os meus deveriam ser suficientes. O meu amor devia produzir 
em mim esta autossuficiência para nunca te pedires nada.

...Mas creia, o amor é vivo e precisa de água, precisa de luz e de ar para respirar.
Por isso, precisamos de aprender a receber com gratidão,
para receber sempre, e, sermos recíprocos para o amor permanecer.

O carinho é a água, a consideração é a luz, a doação é o ar.
Não podemos nos valer da pseudo autossuficiência, na matéria de amar,
autossuficiência...Não temos para impor. Devemos ser literalmente, pró amor!

Quem não sabe receber, deve aprender, ou se entregará a insaciabilidade e jogará
no lixo, o amor, como se fosse quinquilharias quebradas. Tornar-se-à alguém
que não compreende, não aceita, não assimila, não degusta ou sente nada!

Alguém vazio, quase sem livre arbítrio, quase inexistido, exaurido, morto vivo.
Tu és quem decides o que quer, diante a oportunidade de ser ou não ser, aceitar ou não.
O seu coração espera a tua decisão, e se for para sofrer, sofrerás...